Polícias desarticulam associação criminosa que atuava e aterrorizava moradores na zona rural de Natividade

Os infratores não reagiram às prisões e foram todos levados para a 14ª Central de Atendimento da Polícia Civil – Dianópolis onde foram feitos os procedimentos de praxe

180
Foto: Divulgação/SSP

A Polícia Civil do Tocantins, por meio da 98ª Delegacia de Polícia de Natividade e com o apoio da Polícia Militar, prendeu em flagrante na tarde dessa segunda-feira, 17, na zona rural de Natividade, integrantes de uma associação criminosa que vinha aterrorizando moradores da região, em especial a Gleba Rucinha, que fica a cerca de 40 km do centro da cidade em direção ao município de São Valério da Natividade.

Segundo o delegado Joadelson Rodrigues Albuquerque, ao todo sete pessoas foram conduzidas à delegacia onde foi lavrado o auto de prisão em flagrante por furto qualificado com rompimento de obstáculos e participação de terceiros.

Ainda de acordo com o delegado, os integrantes do grupo criminoso se intitulavam Quiabos e encontravam-se localizados na zona rural de Natividade, onde praticavam os crimes. “Com o apoio da Polícia Militar, via 2ª CIPM (Dianópolis) e Comando de Operações de Divisas (COD), foi planejada uma ação imediata, e o resultado foi extremamente positivo”, afirmou.

Apreensões
Como resultado da ação policial, foram apreendidas: três espingardas calibre .22; uma arma de fogo de artesanal tipo bate bucha; duas trabucos utilizados para caça de animais silvestres; duas motosserras; uma furadeira elétrica; duas máquinas de solda; uma lixadeira elétrica; duas planas elétricas; cinco motocicleta; quatro redes de pescas; duas peles de animais silvestres; dois cascos de tatu; carne in natura de animais silvestres; entres outros objetos.

Ainda de acordo com o delegado, as investigações criminais continuam no intuito de localizar os demais objetos furtados e, possivelmente, identificar novos autores. Os infratores não reagiram às prisões e foram todos levados para a 14ª Central de Atendimento da Polícia Civil – Dianópolis, no sudeste do Estado, onde foram feitos os procedimentos de praxe. Em seguida, eles foram encaminhados para a Casa de Prisão Provisória de Dianópolis, onde estão à disposição da Justiça.
(Da Redação)

COMENTÁRIOS FACEBOOK